Desapego

Quero nada de metais
Ou brilho que não seja no olhar
Alimentar-me-ei de sol e flores
Temperadas com sal de mar.

Almejo o que nada compra
Um beijo, um sonho, luz estelar
Terra molhada, aurora, cafuné
Paz, sabedoria, fruto do pé
Assim como cousas antigas
que surgem já no primeiro choro
Aflora no âmago a flora essencial
Amor, afeto, riso, olhar, toque
Luxo maior não se pode ter
Do que ter na palma da mão o nada
E dentro do peito uma imensidão.

Gostou? Deixe seu aplauso, comentário ou compartilhe. Adoro receber feedbacks.

--

--

--

Poeta e escritor. Integrante do portal Fazia Poesia. Instagram: @purapoesiaa. Gostou do conteúdo? Se inscreva no link: https://adriel-alves.medium.com/subscribe

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
Adriel Alves

Adriel Alves

Poeta e escritor. Integrante do portal Fazia Poesia. Instagram: @purapoesiaa. Gostou do conteúdo? Se inscreva no link: https://adriel-alves.medium.com/subscribe

More from Medium

Plein-Air Painter Kimberly Trowbridge Captures the Natural World’s Breathtaking Display [Interview]

Kimberly Trowbridge, a Seattle-based color lecturer, observes the natural world through the attentive eyes of a plein-air painter.

Freedom + Originals + Illegals

Nightmare-Inducing Artwork

A-Lone Star 孤星