Nefelibata

Adriel Alves
Jun 1, 2023

Sou grãozinho de poeira,
mas ando com a cabeça nas nuvens
As ilusões passeiam no vento, vãs areias
Mas o real faz os sonhos de reféns.

Temos na carne um quê de nuvem
Nós, nubívagos, dismorfos, metamorfoses
Inquietos com as próprias formas
Buscando nas deformações perfeições
Quiméricos!

Como nuvem me dou o direito de ser anil
e tempestear quando bem querer
De abril solriso ou entenebrecer
Nas chuvas que criamos espelhos
Vislumbramos céus e espantamos o vil.

Gostou do conteúdo? Deixe aqui o seu aplauso (que vai de 1 a 50) e/ou comentário. Caso tenha interesse, inscreva-se aqui para receber um e-mail toda vez que eu publicar um novo texto.

Instagram: @purapoesiaa

--

--

Adriel Alves

Poeta e cronista. Integrante do portal Fazia Poesia. Instagram: @purapoesiaa. Gostou do conteúdo? Se inscreva no link: https://adriel-alves.medium.com/subscribe