Ocaso das Flores

pura poesia adriel alves ocaso das flores poema medium

Há uma flor que desabrocha
E há uma flor que chora
sobre seu próprio ocaso
Aí está o dourado
Entre a pétala esplendorosa
E o triste fim duma rosa
Onde a vinda
acompanhada de riso
e a partida
acompanhada de sal
dividem o lençol
Entre um ocaso e outro
haverá uma aurora
Não é então a flor um sorriso?
Uma felicidade breve que brota
E recessa feito espuma marinha
E aguardamos com ânsia a volta…

O sol tem um milhão de quilômetros
Mas tão imensa é a grandeza duma flor
Que o sol se apequena
para caber num botão.

Gostou do conteúdo? Deixe aqui o seu aplauso (que vai de 1 a 50) e/ou comentário. Caso tenha interesse, inscreva-se aqui para receber um e-mail toda vez que eu publicar um novo texto.

Instagram: @purapoesiaa

Twitter: @purapoesiaaofc

--

--

Poeta e escritor. Integrante do portal Fazia Poesia. Instagram: @purapoesiaa. Gostou do conteúdo? Se inscreva no link: https://adriel-alves.medium.com/subscribe

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store
Adriel Alves

Poeta e escritor. Integrante do portal Fazia Poesia. Instagram: @purapoesiaa. Gostou do conteúdo? Se inscreva no link: https://adriel-alves.medium.com/subscribe