Foto por Austin Neill no Unsplash

Às vezes me sinto rodeado de monstros marinhos
Em meio às grandes navegações do século XV
De tanto perder a direção
o norte capota da bússola
A formiga perde o rastro
Já tão acostumada à senda de feromônio…

Mas perfume de livro recém-nascido seduz
Árvores morreram por aquelas letras
Nomadearam para além das raízes
como as grandes navegações do século XV
Apenas para você ter na boca
o gosto dessas palavras
que depende do paladar dos olhos
Uma árvore morreu doando seus órgãos
a algum estranho que vai dissecá-los
folha por folha…

Onde estávamos mesmo?
Vês? Já me perdi outra vez!

--

--

poesia renda adriel alves fazia poesia fome critica social
Foto por Josafá Vilarouca no Flickr

As mãos cozem, cozem, cozem
A testa sua à beira do Tártaro
A renda é pouca
para coser zíperes
na porta dos dentes
A renda é pouca
não dá para um agulhinha
Feijão de corda
para amarrar a boca
do estômago
já por um fio.

A renda é pouca
não deu para pagar
a carne sovina
Vai pois um viés
de ave cozida
para adornar as papilas
No prato havia nada
Na dispensa
havia menos
Ralos botões não perecíveis.

A lama da gênese
reboca a boca
do mais novo
escorrendo no pomo de Adão
Ali não se via paraíso.

Lenha e tijolo
Panela no fogo
bordando a fome
Costelas à mostra sob a pele
É que o estômago não é forrado
Aí come o que der na telha
A renda é pouca
para cerzir as pregas
intestinais.

Fome tem dedos descarnados
que nos cosem, cosem, cosem…

--

--

Minha embarcação jogada ao mar range
Como se fosse partir
Cruza as guerras do oceano pacífico
Mas finca sobre a maré
Sem levantar bandeira branca
Senão a vela alva que doma o destino.

Há um farol de nome Esperança
Vagalumeando em noites sombrias
Há sempre um cais por perto
onde se pode ancorar em ombro amigo.

Nós, navegantes, ainda que todos sós
Nunca estamos sozinhos
Há num peito uma bússola
Nos pés um timão
Ninguém possui mapa
Navegamos com coragem e dúvida
na desconhecida escuridão.

Gostou do conteúdo? Deixe aqui o seu aplauso e/ou comentário. Caso tenha interesse, inscreva-se aqui para receber um e-mail toda vez que eu publicar um novo texto.

Instagram: @purapoesiaa

Twitter: @purapoesiaaofc

--

--

Adriel Alves

Adriel Alves

Poeta e escritor. Integrante do portal Fazia Poesia. Instagram: @purapoesiaa. Gostou do conteúdo? Se inscreva no link: https://adriel-alves.medium.com/subscribe